Domingo, 25 de Fevereiro de 2007

Destino: Desemprego

Só quando frequentava o 4º ano de curso é que comecei a tomar consciência da situação de desemprego que se começava a formar em Enfermagem. Até ali eram só relatos de facilidades na procura de um emprego, onde existiam até contratos promessa realizados por hospitais aos futuros enfermeiros. Actualmente a situação é bem diferente e só tem tendência a piorar. Muito se tem dito àcerca deste assunto na blogsfera e na net em geral (ver links), portanto considero que tudo o havia para dizer já foi dito. Resumindo...temos escolas de enferagem a mais que lançam no mercado consequentemente enfermeiros a mais, cujo destino é, obviamente, o desemprego. Por outro lado, temos uma Ordem que afirma constantemente que há falta de enfermeiros em Portugal... Ela até tem razão. Para comprovar isto basta visitar qualquer serviço hospitalar e constatar o rácio enfermeiro/doente, pois são atribuídos aos enfermeiros um grande número de doentes, o que se reflete na qualidade dos cuidados prestados. Toda a gente sabe disso, portanto não podemos falar em excesso de enfermeiros, mas sim em falta de vagas e relutância na contratação de mais enfermeiros pelas Administrações Hospitalares.... Para comprovar isto posso relatar-vos uma situação que aconteceu num grande hospital da invicta. A certa altura, e durante o processo de acreditação desse mesmo hospital, foi programada uma visita a um determinado serviço pelos avaliadores. O que aconteceu foi que, ao contrário dos restantes dias, naquele foram chamados para trabalhar um maior número de enfermeiros, a serem pagos em horas extras para ser apresentado um rácio enfermeiro/doente considerável. Reparem só na hipocrisia que reside nesta situação. Com isto , a administração desse hospital está a afirmar que tem falta de enfermeiros, mas não procede à contratação de mesmos. Por outro lado, reparem nas condições em que as nossas instituições de saúde estão a ser acreditadas...

Dá que pensar...não dá?

publicado por andreia_guedes às 18:17
link do post | comentar | favorito

Como tudo começou...

Desde que me recordo, a minha brincadeira favorita era "brincar aos médicos", mesmo que fosse sozinha! Desde que me ofereceram o meu primeiro kit de médico, nunca mais o larguei. Eu passava horas e horas a fingir que atendia os pacientes, observáva-os, fazia registos nos processos clínicos, prescrevia e marcava novas consultas! No meu consultório imaginário, não eram necessários enfermeiros, auxiliares ou até mesmo administrativos, pois eu fazia tudo!!!

O meu gosto por tais brincadeiras era tanto que acabava quase sempre por brincar sozinha, pois as minhas amigas saturavam-se rapidamente daquele monopolismo e queriam brincar a outras coisas! Algumas vezes, ainda que relutantemente e mais por insistência da minha avó (que me criou), lá aceitava outras brincadeiras...

Enfim... os anos foram passsando e o gosto manteve-se! Aliás, é bastante comum as crianças mudarem frequentemente de opinião, quando questionadas acerca da sua futura profissão, mas eu nunca hesitava ou mudava:

- "Quando for grande quero ser médica para ajudar a curar as pessoas que estão doentinhas", dizia eu cheia de orgulho!

Neste momento quase que consigo advinhar o que vai no pensamento de quem está a ler este post : "Esta é mais uma enfermeira frustrada por não ter conseguido entrar em medicina!!!"

Eu compreendo que seja uma dedução lógica e compreensível mas não corresponde à verdade.

Sempre fui uma excelente aluna, pertenci muitos anos ao chamado "Quadro de Excelência" que prestigiava os melhores alunos da escola, tendo ficado no 7º e no 9º ano de escolaridade em primeiro lugar com nota 5 a todas as disciplinas. Toda a gente dizia que eu não ia ter dificuldades em ter média para entrar em Medicina. E estavam certos, até ao meu 12ºano. Ainda hoje me questiono sobre o que realmente aconteceu... Os motivos julgo serem muitos mas o resultado foi só um: eu tinha média de 19 no 10º e 11º de escolaridade e terminei com uma média de acesso ao Ensino Superior de 17,4 valores.

Foi muito antes da candidatura de acesso ao Ensino Superior que me decidi pela Enfermagem! Nunca pensei em seguir outra área para além da saúde e naquela altura, sabendo que não entrava de forma alguma em Medicina, a escolha mais lógica para mim foi escolher a Enfermagem. Escolhi e entrei na primeira opção!

A verdade é que no início do curso pensei: "Para o ano faço exames e tento entrar em Medicina". Mas, com o passar do tempo e com o avanço do curso apaixonei-me de tal forma pela Enfermagem que compreendi que esta tinha sido a melhor opção profissional para mim, pois enquadra-se na minha forma de estar e de ver o mundo. Uma amiga minha, um dia encontrou esta frase: "A capacidade de cuidar é o que dá à vida o seu mais profundo sentido e significado". Quem escreveu isto, não poderia estar mais certo! A minha vida não teria significado se não pudesse ajudar o próximo e não existe melhor profissão no mundo para o fazer: ENFERMAGEM

publicado por andreia_guedes às 15:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Olá a Todos

O meu nome é Andreia e sou enfermeira desde o dia 28 de Julho de 2006.

Decidi criar este blog para expressar e dar a conhecer a enfermagem sobre o meu ponto de vista, bem como relatar experiências de vida profissionais!

Com este blog, espero contribuir para a construção de uma enfermagem melhor!!!

Espero que gostem e estejam à vontade para comentar!!!

publicado por andreia_guedes às 15:06
link do post | comentar | favorito

.links

.dúvidas?o google sabe tudo!!!

Google

.publicidade...

.queres ganhar uns trocos?

.arquivos

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.quantos são? quantos são? LOL

Europa Casino
casinos

.que horas são?

.Vale a pena pensar nisto...

.cbox


.deixa a tua marca

Assina o meu livro de visitas

.procura-se